O programa extensionista UFF Mulher está realizando diferentes atividades no município de Oriximiná, no Estado do Pará, em conjunto com a Unidade Avançada José Veríssimo (UAJV). Entre as atividades estão o “Curso de Extensão: atualização em gênero, direitos humanos e violência”, o “Minicurso: capacitação de Conselheiros Tutelares e de Direitos de Oriximiná/PA”, o “Minicurso: capacitação de profissionais de atendimento à população LGBT”, bem como rodas de conversa sobre as temáticas gênero, mídia, violência e saúde, e visitas técnicas em instituições como a Associação de Mulheres Trabalhadoras do Município de Oriximiná e o Centro de Referência de Assistência Social (Creas).

As atividades contam com a participação de profissionais de diferentes instituições do município, entre elas o Centro de Acolhimento Provisório (CAP), Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Associação de Mulheres Trabalhadoras do Município de Oriximiná (AMTMO), Associação de Mulheres Indígenas da Região do Município de Oriximiná (Amimo), Secretaria Municipal de Assistência Social, Secretaria Municipal de Saúde, Centro de Referência de Assistência Social (Creas), Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Conselho Tutelar, Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e Conselho Municipal de Direitos da Mulher (CMDM). Participam também alunos de graduação em Biologia da Universidade Federal do Oeste do Pará e de graduação em serviço social e enfermagem da Universidade do Norte do Pará (Unopar).

Maria Flora Wanzeller Pedroso, técnica de enfermagem do Hospital Maternidade São Domingos Sávio (HMSDS) e participante da roda de conversa para profissionais de saúde, ressaltou a importância da Proex e da UFF para Oriximiná, sobretudo para os jovens que sempre se fizeram presentes nas ações da universidade, principalmente na área de esporte e odontologia.

Para a discente e estagiária de Serviço Social, Moiana Mara H. Almeida, o município conta com poucos locais para estágio. Por meio do curso, a discente está adquirindo novos conhecimentos que contribuirão para sua profissão. Já para Angélico Nonato Serrão Aciole, estudante de Biologia da Universidade Federal do Oeste do Pará e participante do Curso e da roda de conversa sobre gênero, violência e mídia, as informações adquiridas contribuirão para seu papel como pai, uma vez que ele já busca educar seu casal de filhos fora de padrões e normas de gênero. Para Raimunda Clebea Cavalcante, da Assessoria de Comunicação da Paróquia de Santo Antonio e Conselheira Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, “os conteúdos apresentados foram ótimos e os facilitadores explicaram muito bem. Já fiz outros cursos, mas esse foi o mais enriquecedor de que participei”.

Fonte: http://www.uff.br