MP fecha matouro público de Oriximiná (Foto: Márcio Gárcia/Divulgação)

A decisão é resultado da audiência pública realizada no dia 13/09, pelo Ministério Público, na Câmara Municipal, onde foram determinadas alterações mínimas para a Prefeitura executar no Matadouro Municipal, no prazo de 48h, como requisito  para suspensão da interdição.

 

“Acabamos determinando que a Prefeitura faça algumas alterações imediatas e mais urgentes no matadouro, que é o mínimo para voltar a operar, estabelecendo o prazo de 48h, mantendo a interdição, com a intenção de quinta-feira fazer uma inspeção judicial para verificar a possibilidade de liberação na quinta-feira mesmo”, informa o Juiz Vinícius Pedrassoli.

 

O evento reuniu representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como de empresários e pecuaristas locais.

A Câmara ficou lotada para ver qual decisão seria tomada em relação ao matadouro municipal. Os participantes se manifestarem abordando os benefícios que o Matadouro traz para o município e os prejuízos que sua interdição vem causando aos cidadãos, em especial àqueles cujo sustento é proveniente da venda e abate de gado.

Durante a audiência, a Procuradora Geral da Prefeitura, Dra. Filomena Guerreiro, Alguns Secretários Municipais e servidores públicos lotados no Matadouro Municipal, abordaram as melhorias que foram implementadas no decorrer do Processo Judicial, assim como os entraves que impossibilitaram que mais adequações fossem efetuadas.

“Já estamos fazendo todas as alterações no Matadouro e esperamos que o Juiz suspenda a interdição na quinta-feira para que na sexta, já estejamos fazendo o abate novamente. Nossa expectativa é que neste fim de semana o oriximinaense esteja fazendo churrasco com a carne abatida aqui”, declara a Procura Geral da Prefeitura.

Para a promotora, as alterações estabelecidas na audiência já vão trazer melhorias e garantirão o mínimo de qualidade. “Coloquei minha posição de investimentos mais urgentes, tem coisas que não precisam de investimento alto e nem é prudente fazer um investimento alto no matadouro porque é necessária a construção de um matadouro em outro local. Já vamos ter algumas melhorias, ainda não vai ficar padrão, mas terá uma garantia mínima de segurança”, declara a Promotora Sabrina Kalume.

Fonte: Orixi Notícia (http://orixinoticia.blogspot.com.br). Postado por Leize Silva

Animais sadios conviviam junto de animais doentes (Foto: Márcio Gárcia/Divulgação)

Saiba mais:

Atendendo a uma recomendação do Ministério Público do Estado do Pará (MP), a Justiça de Oriximiná ordenou em 30/08 o fechamento do matadouro público local em virtude do funcionamento irregular e fora dos padrões mínimos de higiene exigidos pelos órgãos sanitários. De acordo com o MP, além das precárias condições do estabelecimento onde acontecia o abate dos animais, o órgão observou ainda que o local não possuía alojamento adequado para a instalação dos bovinos. Animais sadios estavam convivendo com animais doentes.

De acordo com a decisão judicial, a interdição deve permanecer até que o estabelecimento tenha condições adequadas de funcionamento, em consonância com os licenciamentos e os registros pertinentes (sanitário e ambiental).

 

Fonte: G1 Pará, 31/08/2016