O corpo de Jarleane Aranha Siqueira, de 30 anos, que morreu na noite de sábado após ser baleada quando passava pela rodovia Fernando Guilhon foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML) no domingo (30) e seguiu para o município de Oriximiná, no oeste do Pará.

O acidente aconteceu enquanto Jarleane Siqueira e Hugo Wanderlan Mota cruzavam o viaduto em uma motocicleta e foram alvejados pelas costas. Ainda não se sabe quem efetuou os disparos. Jarleane não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. Hugo foi socorrido e levado para o Hospital Municipal.

A tia da vítima, Jucileia Calderaro contou à equipe de reportagem da TV Tapajós que na naquela noite a sobrinha havia saído para visitar casa de uma amiga. “Quando ela percebeu dois carros da polícia atrás deles e pediu para o amigo acelerar a moto e depois ouviu os disparos, em seguida falou ao amigo que o tiro pegou nela. A polícia falou pra gente eles estavam perseguindo uma moto com dois suspeitos, quando atiraram e confundiram” conta.

O pai de Hugo declarou que irá solicitar uma perícia para saber de onde vieram os disparos que mataram Jarleane e feriu o filho. “Nós vamos querer uma perícia profunda, de quem atirou neles, de onde veio à bala, eu vou descobrir” afirma.

Um inquérito policial foi instaurardo e a investigação do caso está nas mãos da delegacia especializada em homicídios da 16ª Seccional de Polícia Civil, que irá ouvir testemunhas ainda no decorrer desta semana.

Do G1 Santarém, com informações da TV Tapajós