Barco-hospital ganhará o nome do Papa Francisco.

As comunidades ribeirinhas do Baixo Amazonas, dos municípios de Alenquer, Almeirim, Belterra, Curruá, Faro, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Santarém e Terra Santa vão receber atendimento médico de qualidade em um Barco-hospital. A embarcação está sendo construída com os R$ 24,5 milhões, provenientes de uma indenização devida por dano moral coletivo envolvendo as empresas Shell e Basf. A ideia nasceu de uma sugestão do Papa Francisco, se concretizou graças a um juiz de Campinas (SP), e está sendo realizada pela Associação da Fraternidade São Francisco de Assis da Providência de Deus.

O Barco-hospital atenderá mais de mil comunidades ribeirinhas na Bacia Amazônica, no Estado do Pará, potencialmente 675 mil pessoas, e terá como base a Diocese de Óbidos (PA). Quem nos fala sobre a iniciativa, desde o início, é o bispo, Dom Bernardo Bahlman OFM.

“O Barco-hospital vai se chamar Papa Francisco. Nasceu de uma colocação feita pelo Papa ao Frei Francisco Belotti no Hospital São Francisco, no Rio de Janeiro, durante a sua visita na JMJ de 2013. Na visita, o Papa perguntou ao Frei “A Fraternidade de vocês já está na Amazônia?” e o Frei disse que não”.

“Mais tarde, quando eu fui procurar uma solução para o Hospital de Óbidos, falei com aIrmã Lia, do Hospital Santa Catarina em São Paulo, ela me recomendou que falasse com o Frei Francisco. Eu lhe telefonei e o convidei para assumir o Hospital de Óbidos, uma Santa Casa da Misericórdia. Eu estava cansado de ver as pessoas morrerem por não serem atendidas no hospital por causa da falta de recursos, de médicos, de profissionais e outros problemas. Os gestores estavam tentando de tudo, mas não conseguiam... e me perguntaram se eu poderia ajudar a levantar o hospital de Óbidos”.

“Frei Francisco veio a Óbidos, assumiu o Hospital Santa Casa da Misericórdia e outro hospital, já bem equipado pela empresa Alcoa, no município de Juruti. Hoje os dois hospitais estão sendo administrados pela Associação Lar São Francisco. Graças a Deus estamos conseguindo avançar muito e a partir desta proposta, surgiu a ideia de ter um Barco-hospital em nossa região para atender os ribeirinhos e as pequenas vilas e cidades ao longo do Rio Amazonas, no estado do Pará”.

“Uma vez o Frei Francisco foi convidado a dar uma entrevista a respeito da saúde, de modo geral, junto com o diretor do Hospital do Câncer de Barretos (SP) e um juiz, em Campinas, ouviu a entrevista e se encantou com o projeto e a ideia do Barco-hospital no Rio Amazonas. O juiz então chamou o Frei Francisco e o diretor do Hospital de Barretos a Campinas e lhes disse sobre que a indenização paga pela Shell e da Basf em um processo seria revertida para a construção do Barco-hospital”.

“O Barco será construído e equipado; terá um centro cirúrgico e seus equipamentos vão ajudar a atender bem as pessoas. O projeto prevê também a manutenção do projeto nos próximos anos”.

Fontes:Foto: Rádio Vaticano; http://oestadonet.com.br.