Jovens quilombolas do município de Oriximiná durante o curso preparatório (Foto: Divulgação/Arqmo)

Preparação é para as 61 vagas ofertadas no Processo Seletivo Especial Quilombola que a Ufopa oferece.

Conquistar uma das 61 vagas ofertadas no Processo Seletivo Especial Quilombola da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), em Santarém, é o objetivo de aproximadamente 150 jovens quilombolas do município de Oriximiná que encararam o desafio de sair das suas comunidades para participarem de dois módulos de curso preparatório solidário.

A iniciativa é realizada a partir da parceria entre a Associação dos Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná (Arqmo), Secretaria Municipal de Educação de Oriximiná (Semed) e o professor Luiz Fernando França (Ufopa).
O curso preparatório do processo seletivo surgiu a partir da necessidade de os quilombolas terem uma porta de acesso ao ensino superior. “A iniciativa surgiu em 2016. Na época uma média de 70 jovens participou do processo seletivo, e como antes eram poucas vagas e eles não tinham uma preparação para concorrer de igual com outros quilombolas, nós buscamos parcerias para realizar o curso”, enfatizou a coordenadora da Arqmo, Claudinete Colé.
Atualmente, 23 jovens já ingressaram na Universidade, motivo de orgulho para as comunidades, que buscam junto ao Incra e ao Governo do estado o reconhecimento da sua identidade por meio da titulação de suas terras.
Neste ano estão inscritos para participar do processo seletivo especial quilombola uma média 150 jovens. A segunda etapa do curso preparatório para o vestibular especial quilombola será realizado no dia 7 de março em tempo integral na Ufopa, em Oriximiná.
Fonte: G1 Santarém,, 26/02/2018.