Ritual das almas é tradição secular que teve origem na Europa (Foto: Secom/Divulgação)

Ritual das almas é tradição secular que teve origem na Europa (Foto: Secom/Divulgação)

Grupos de homens trajados com mantos brancos se dirigem ao cemitério da cidade para, à meia noite, ‘apanharem’ as almas que seguirão em uma longa procissão pelas ruas da cidade.

O município de Oriximiná reviveu uma tradição secular que foi trazida da Europa ao Brasil pelos padres capuchinhos e mantida até hoje entre as populações ribeirinhas e as comunidades remanescentes de quilombos - a Encomendação das Almas, no período da Semana Santa. O ritual católico teve início na noite de quarta-feira (28), quando grupos de homens trajados com mantos brancos se dirigem ao cemitério da cidade para, à meia noite, ‘apanharem’ as almas que seguirão em uma longa procissão pelas ruas de Oriximiná.

 

Entre orações e ladainhas entoadas em latim, os “encomendadores de almas”, como são chamados, também fazem paradas nas casas dos moradores que solicitam ou, como rege a tradição, deixam uma vela acesa na frente de suas residências. Como retribuição, os familiares costumam ofertar um lanche na madrugada. A manifestação popular, que se mantém em poucas cidades do Brasil, segue até a meia noite da Sexta-feira Santa, quando as almas são devolvidas ao cemitério.

Com origens na Europa do século X, a Encomendação das Almas mistura ritos pagãos e cristãos e tem como objetivo direcionar as orações - sete pai-nossos e sete ave-marias - para sete tipos de almas: Jesus Cristo, pais falecidos, santas benditas, e almas com pecado mortal, que morreram na água, do purgatório e as necessitadas.

Segundo o diretor da Secretaria de Cultura e Turismo de Oriximiná, Carlos Dias, além de Oriximiná, a cidade de Juruti, também no oeste paraense, e algumas cidades de Minas Gerais são as que mantêm a tradição da Encomendação das Almas. “Por esse motivo, estamos trabalhando para que essa tradição seja reconhecida e divulgada como um atrativo do turismo religioso no período da Semana Santa, que se completa com a teatralização da Via Sacra pelas ruas da cidade”, disse.

Durante o período da Encomendação das Almas em Oriximiná, uma equipe da secretaria visitou algumas comunidades da zona rural para captar imagens e entrevistas com moradores que participam há muito tempo do ritual. Entre as locações escolhidas, estão áreas que mesclam verdadeiros paraísos turísticos ainda não explorados com a tradição da Encomendação das Almas, como a região do Lago Sapucuá, considerado um dos maiores lagos da região em que vivem 14 comunidades bem distribuídas, entre as quais a do Saracá, Casinha e Lero, que serão documentadas.

A equipe também visitará os lagos do Itapecuru e do Iripixi, que têm praia com areias finas e águas transparentes.

Fonte: G1 Santarém