Mãe e filha seguem internadas em leitos de isolamento. A empresa tem testado todos os casos suspeitos que dão entrada no HPTR.

HPT

Hospital de Porto Trombetas — Foto: prosaude.gov.br

Duas moradoras da comunidade Santo Antônio do Abuí, localizada na região do Alto Trombetas, no município de Oriximiná, oeste do Pará, testaram positivo para covid-19 no dia 26 de maio. A informação foi divulgada em nota pela Mineração Rio do Norte (MRN), na tarde de quinta-feira (28).

Segundo a empresa, as comunitárias são da mesma família (mãe e filha) e seguem internadas em leitos de isolamento do Hospital da MRN em Porto Trombetas (HPTR), apresentando sintomas moderados da doença.

A empresa informou ainda, que está acompanhando, presta assistência médica e testa os casos suspeitos que chegam ao seu hospital. A iniciativa está alinhada às ações de prevenção e combate à Covid-19 conduzidas pelo Grupo “Pela Vida em Trombetas”, do qual a MRN participa ativamente.

O Grupo é composto por representantes de órgãos públicos, universidade e entidades representativas de quilombolas e indígenas:

Ministério Público do Estado do Pará (MPPA)
Ministério Público Federal (MPF)
Universidade Federal Fluminense (UFF)
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná (ARQMO)
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Alto Trombetas II (ACRQAT)
Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Boa Vista (ACRQBV)
Associação dos Moradores da Comunidade Remanescente de Quilombo de Cachoeira Porteira (AMOCREQ-CPT)
Associação das Comunidades da Gleba Trombetas e Gleba Sapucuá (ACOMTAGS)
Associação Mãe Domingas, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
Fundação Nacional do índio (Funai), Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai)
Mineração Rio do Norte (MRN) e Projeto Quilombo.

O projeto foi instituído em 26 de março, tendo como objetivo a elaboração de material informativo de prevenção ao Covid-19, voltado aos povos e comunidades tradicionais do município de Oriximiná e região, além de verificar medidas preventivas para proteger as populações rurais, quilombolas e indígenas da região.

Monitoramento

A MRN está monitorando mais 15 casos suspeitos de moradores das comunidades do Batata, Ajudante, Moura e Santo Antônio do Abuí, que apresentaram nos últimos três dias sintomas leves. Desse total, apenas três optaram por ficar em isolamento nos alojamentos oferecidos pela empresa em Porto Trombetas.

Os demais comunitários, por opção e livre decisão, assinaram o Termo de Isolamento, conforme Portaria Nº 454 do Ministério da Saúde, para se submeterem ao isolamento em suas próprias comunidades.

O Hospital de Porto Trombetas recomendou para esses casos, total obediência ao isolamento e adoção de todas as medidas preventivas para assegurar a saúde e bem-estar dos familiares. Todos os moradores com suspeita de Covid-19 são e serão submetidos aos testes rápidos a partir do décimo dia dos sintomas, quando é recomendada a realização do teste.

Investimentos

A empresa também vem contribuindo para garantir a segurança alimentar e o isolamento social das comunidades vizinhas durante a pandemia de covid-19, investindo na compra de 5.220 cestas básicas, distribuídas a 26 comunidades quilombolas, ribeirinhas e indígenas do oeste do Pará. As cestas básicas incluem alimentos, material de higiene e limpeza.

Fonte: Por G1 Santarém — PA, 29/05/2020