Adolescente mata outro adolescente a facadas

Na última sexta-feira, por volta das 21h, um adolescente de 16 anos desferiu três estocadas com uma faca tipo peixeira nas costas do também menor Kelson Rodrigues da Silva, 15, que o levou à morte. O crime aconteceu no barzinho Cristo Rei, em frente à Danceteria do Tonhão, situado na rua João Batista de Oliveira, bairro São Lázaro, zona leste de Oriximiná.

Darlison Santos Souza, 18, conta que caminhava na companhia de Kelson e de mais um amigo e pararam em frente ao barzinho para comprar cigarros. A testemunha conta que entrou no bar com o amigo, deixando Kelson na rua. “De repente, ele chegou perto de mim dizendo que alguém havia dado duas facadas nele”. Darlison disse que o adolescente ainda caminhou novamente para fora do bar, mas logo caiu agonizando na rua. Imediatamente, a vítima foi levada para o Hospital Municipal, onde já chegou sem vida.
A PM foi acionada e uma guarnição se dirigiu para o local. “Obtivemos informações de que o adolescente estava na área e fomos até a casa dele, mas não se encontrava lá”, disse um policial. Às 5h da manhã, a guarnição retornou à casa e o adolescente foi entregue pelo pai dele, que o acompanhou até a delegacia.
O pai do infrator disse que também estava chocado com o ato impensado cometido pelo filho, mas fez questão de entregá-lo à polícia como forma de fazer com que ele pague pelo que fez. “Eu estava dormindo em minha casa quando ele chegou dizendo que havia furado o rapaz. Imediatamente, eu disse a ele que iria entregá-lo à polícia”, contou o pai, que teve que acompanhar o filho na viatura policial.
O  menor disse que esfaqueou Kelson porque ele havia dado uma facada no amigo dele conhecido como Bruno, que hoje está morando na zona rural. “Eu já tinha raiva dele e prometi que um dia vingaria meu amigo”. Ele afirmou ainda que a faca utilizada para tirar a vida de Kelson foi dada a ele por outra pessoa, que ainda indicou a vítima. “Ele me chamou e disse: ‘Pega a faca e vai matar o Kelson’. Depois apontou quem era ele. Aí eu fui lá e disse que ia matá-lo. Ele tentou correr, mas já estava furado debaixo do braço e nesse momento ainda desferi mais duas facadas nas costas dele”, disse.
A delegada Andreza Souza lavrou o auto flagrancial que, por se tratar de um adolescente, é considerado ato infracional. Aldemar Cardoso da Silva, pai da vítima, pediu que se faça justiça e que o culpado seja punido. “Só quero justiça”. (Diário do Pará)
(Diário do Pará, Segunda-feira, 04/10/2010, 05h12)