Municípios que estavam na bandeira amarela em novembro, agora passam a integrar a zona de médio risco (laranja), como a maior parte do estado.

bandeiramento.jpg - 66.69 Kb

Bandeiramento atualizado no estado do Pará — Foto: Reprodução

O governo do Pará anunciou, neste sábado (26), que a região do Baixo Amazonas segue no bandeiramento laranja, com médio risco para covid-19. Na classificação de bandeiras que definem a reabertura econômica no estado durante a pandemia de Covid-19, houve duas mudanças: as regiões do Tapajós e Xingu que estavam na bandeira amarela, passaram para bandeira laranja.

O bandeiramento leva em consideração a capacidade hospitalar controlada e pela evolução em fase decrescente de contaminação pela Covid-19. Ou seja, a região, desde a última atualização, não conseguiu diminuir a propagação do novo coronavírus.

Fazem parte do Baixo Amazonas: Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Santarém e Terra Santa.

O bandeiramento para as regiões iniciou ainda em agosto e é usado como métrica para tomada de decisões, como afrouxamento ou endurecimento de medidas, mas cabe as prefeituras as determinações a serem seguidas.

A Procuradoria-geral do Estado (PGE) continua avaliando, periodicamente, o cenário epidemiológico no Pará, levando em consideração a realidade de cada uma das oito regiões de regulação do Estado.

Segundo os critérios determinados pelo Governo, cada região do estado foi enquadrado entre:

• Risco Alto (bandeira vermelha) - municípios com taxa de transmissão alta e baixa capacidade do sistema de saúde

• Risco Médio (bandeira laranja) - municípios com taxa de transmissão média e média capacidade do sistema de saúde

• Risco Intermediário (bandeira amarela) - Municípios paraenses com taxa de transmissão intermediária e média capacidade

• Risco Baixo (bandeira verde) - Municípios com taxa de transmissão baixa e alta capacidade do sistema de saúde

• Risco mínimo (bandeira azul) - Município com taxa de transmissão mínima e alta capacidade do sistema de saúde

Apesar da classificação, a liberação para a retomada das atividades em cada setor ficará a cargo das Prefeituras. Em Santarém, Belterra e Oriximiná, as festas e eventos que gerem aglomerações seguem com proibição.

Fonte: G1 Santarém — PA, 26/12/2020