Com o aumento de 50% nas internações dos casos da Covid-19 em menos de 24 horas no Hospital Municipal de Oriximiná , no oeste do Pará, o prefeito William Fonseca (PRTB) publicou um decreto municipal para evitar o colapso no serviço da saúde. As medidas valem por 15 dias após a publicação do decreto municipal.

 

O decreto, anunciado na noite de quinta-feira (14), estabelece toque de recolher a partir das 21h e interrompe o transporte de passageiros entre os municípios vizinhos via terrestre e fluvial, o transporte interestadual e o transporte doméstico, ou seja, o deslocamento de comunidades da zona rural para a sede do município, com exceção de pelo menos um membro de cada família para adquirir produtos essenciais.

 

Além da proibição dos transportes de passageiros e do toque de recolher, o novo decreto também regulamenta o funcionamento das Igrejas e cultos, e pode celebrar apenas com 30% da capacidade; as festas e eventos estão proibidos; comércio funciona normalmente seguindo medidas de segurança; eventos esportivos estão cancelados.

O HMO tem 18 pacientes de internados provenientes de complicações da Covid-19. Além disso, o cenário regional também preocupa a prefeito de Oriximiná. Fonseca firmou parceria com a Mineração Rio do Norte para adquirir 400m³ de oxigênio.

Em média essa quantidade de O² atende à unidade hospitalar por 5 dias. Com a falta de fornecimento do produto para cidades do estado vizinho, cabe ações mais rígidas para manter a população afastada da contaminação.

O prefeito informou ainda que tratamento de pacientes com os primeiros sintomas devem buscar os cuidados nas Unidades Básicas de Saúde a partir de segunda-feira (18).

Fonte: Kamila Andrade/Portal OESTADONET - 15/01/2021