Projeto premiado de Elza Lima apresenta as Amazonas do século XXI.

O imaginário que cerca a vida da mulher ribeirinha da Amazônia vai ganhar forma na exposição “O Lago da Lua ou Yaci Uaruá – As Amazonas do rio mar”, que a fotógrafa Elza Lima abre no próximo dia 16 de fevereiro, na galeria do Centro Cultural Brasil Estados Unidos (CCBEU).
No Blog Holofote Virtual (http://holofotevirtual.blogspot.com)

O projeto, como o blog divulgou na época,  foi contemplado com o XI Prêmio Funarte Marc Ferrez de fotografia, com apoio da Sol Informática, CCBEU e Mabeu. Além da mostra, Elza vai realizar também um curta metragem, filmado por Lu Magno e dirigido pela cineasta paraense Priscila Brasil. A previsão é que o curta seja apresentado ao público até o final deste ano.
O rio Nhamundá, localizado no Baixo Amazonas, é conhecido por acolher, em seus recantos misteriosos, o “Espelho da Lua”, onde supostamente aconteceu o encontro dos exploradores europeus Orellanas e Carvajal com as mulheres guerreiras que eles denominaram de Amazonas, durante o descobrimento do rio em 1542.
Para dar forma ao projeto, a fotógrafa viajou a região partindo da cidade de Oriximiná e passando pelos municípios de Nhamundá, Juruti, Faro e Terra Santa. Ela explora a rotina e as condições de vida das mulheres que hoje habitam a área e que seriam “descendentes” das guerreiras do passado.
No projeto, a fotógrafa coloca em discussão como seriam as Amazonas do século XXI, que passam a ser então as protagonistas dos mistérios que ainda hoje cercam a região. Elza Lima traz a Amazônia como o tema de seu trabalho desde o início de sua carreira, em 1984, onde busca expressar através de seu olhar uma região onírica, cercada de mistérios. Quem quiser acompanhar o desenvolvimento do trabalho pode acessar o website www.elzalima.com.br