Opinião

Centenário da Expedição Científica Roosevelt-Rondon

Click on the slide!

Flashes da Expedição Científica
Hiram Reis e Silva (*), Bagé, RS, 01 de setembro de 2014
A América pode apresentar ao mundo duas realizações ciclópicas: ao Norte o Canal do Panamá, ao Sul o trabalho de Rondon ‒ científico, prático, humanitário. Rondon não é apenas oficial e “gentleman” como os que mais o são nos mais bem organizados exércitos do mundo. É também excepcional, audaz e competente explorador, ótimo naturalista, cientista, estudioso, filósofo. Com ele a conversa vai da caçada de onças e dos perigos da exploração do Sertão à antropologia indígena; dos perigos da civilização industrial, puramente materialista, à moralidade positivista. O Positivismo do Coronel Rondon é realmente a Religião da Humanidade, doutrina que o impele a ser justo, bondoso e útil, a viver corajosamente sua vida e, com igual bravura, afrontar a morte. Nunca vi, nem conheço obra igual. Os homens que a estão realizando são, pela sua abnegação e patriotismo, os maiores que existem. Um povo que tem filhos desta ordem há de vencer. O século XX pertence-lhes. (ROOSEVELT)

 

Faroeste, de novo

Este mapa mostra a BR-163, a Santarém-Cuiabá. Os quadros maiores, circundados de branco, são ampliações dos quadrados vermelhos. O mapa, processado e divulgado pelo Greenpeace, é do monitoramento de queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais – o INPE e é deste agosto.

 

A figura do pai

Poucas oportunidades existem iguais à que o Dia dos Pais nos oferece para conhecer um pouco mais o estereótipo masculino em nossa sociedade. E é muito simples descobrir: basta percorrer as ofertas publicitárias para o presente do papai. Elas são um termômetro, principalmente aquelas repetitivas. O mesmo produto oferecido por várias empresas e várias peças de publicidade traduz a tentativa de vender mais dentro de uma demanda consolidada: trata-se, pois, de um produto que as pessoas procuram, querem comprar. E se querem comprar como presente é porque acham que será adequado, que o papai da vez quer ou vai gostar. O que acaba caracterizando um dado de estereótipo, isto é, de como a sociedade vê o homem neste início do século.

 

O templo e o cabaré

Cena 1

(Interior de um templo. Multidão e um pastor)

Pastor: Não podemos admitir que esse antro de perdição fique maior!

Multidão: Não podemos!

 

Mensagem do Pároco da Festa de Santo Antônio de Oriximiná

Estimados irmãos/ãs em Cristo, devotos de Santo Antônio, é uma grande alegria em poder contar com sua presença sempre, mas especialmente esse tempo de festividade do padroeiro da nossa paróquia e da cidade, Santo Antônio.

Irmãs/os que vêm pela primeira vez, e os que vêm todos os anos, os que se preparam dias ou meses e os que planejam de repente, os devotos que vêm pagar a promessa pela graça alcançada e os que vêm pedir graças, os que vem de longe e os que vem de perto, os que chegam para ver a beleza do rio trombetas ilumino com as barquinhas, e para ver foguetes iluminando o céu, e os que vêm ver N/M decorados, e os que vem ver a balsa decorada, trazendo a imagem do Santo Antônio, os devotos acolhendo, cantando e saudando com “viva Santo Antônio”, e os devotos que vem agradecer a Deus por todas as graças e estarem aqui mais uma vez, nossa calorosa saudação e cordial boas vindas. É momento único para nossa cidade quando milhares de devotos reúnem para festejar, para confraternizar, e para agradecer a Deus por ter nos dado Santo Antônio como padroeiro da nossa igreja. É um momento propício também para refletir e meditar sobre essa grande dádiva que Deus nos deu, o dom da vida. Para isso, esse ano, temos o tema “Santo Antônio, defensor da vida e da dignidade humana”, para ajudar-nos na nossa oração e reflexão.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL